Chaves para decorar no estilo wabi-sabi

23 Março, 2019
A decoração wabi-sabi é usada no Japão não apenas para o design dos ambientes, mas também como uma maneira de ver a vida. O objetivo principal desta corrente é dar a todos os objetos o lugar que eles merecem e aceitar as imperfeições da casa.

O wabi-sabi é uma maneira muito específica de ver as coisas, originária do Japão; por consequência, não deve ser visto apenas como uma moda, mas sim como uma filosofia de vida que abrange aspectos como a decoração da casa.

Trata-se de um conceito que descende da filosofia zen-budista, que é baseada na contemplação do ambiente e na aceitação do ciclo vital das coisas (e das pessoas). Poderia ser resumido nesta máxima: “Nada é perfeito, nada é permanente e nada está completo”.

Um termo com um grande significado

O termo wabi-sabi é composto de duas palavras. Wabi vem da palavra “wa”, que significa harmonia, paz, tranquilidade e equilíbrio. Por isso, uma pessoa wabi é simples, humilde e respeitosa com a natureza.

Wabi-sabi: Um termo com um grande significado

“Sabi” está relacionado à progressão natural, ao brilho extinto dos objetos que já brilharam, à passagem do tempo e à oxidação ou degradação. É por isso que este estilo celebra as marcas que os anos (e fatores externos) deixaram no nosso entorno.

É evidente que não é fácil traduzir exatamente o que ambas as palavras significam, mas em linhas gerais, podemos dizer que tanto “wabi” quanto “sabi” se referem à busca pela beleza na imperfeição e, também, a própria natureza.

Agora, uma vez que uma pessoa entende o que o wabi-sabi significa, ela deixará de ver com maus olhos as rachaduras nas paredes e as marcas que foram deixadas no chão após algum acidente.

O wabi-sabi em casa

O uso continuado da casa é celebrado por este ‘estilo’, bem como os espaços onde o emocional tem o protagonismo.

Ao contrário de outros tipos de decoração, aqui a ideia é deixar as fotografias em preto e branco dos pais ou avós, pendurar nas paredes objetos herdados e deixar os livros favoritos à mostra.

Não há dúvida de que a decoração wabi-sabi é simples, modesta e, acima de tudo, humilde. Algo que contrasta bastante com o atual design de interiores, onde tudo parece girar em torno da pretensão e de mostrar que somos organizados, minimalistas ou desapegados.

O wabi-sabi em casa

Chaves para conseguir uma decoração wabi-sabi

Como primeiro passo, deve-se aceitar que a casa ‘existe para ser vivida’. Isso significa que brincar com os filhos é mais importante do que a marca que a bola pode deixar na parede, ou a bicicleta no chão.

Certamente, isso não significa que a casa será ‘destruída’, mas sim que a importância da aparência da casa será reduzida. Em outras palavras, não devemos pensar que é o fim do mundo ou da prosperidade e beleza apenas porque algo ficou sujo.

Se você quiser usar a decoração wabi-sabi, terá que se concentrar nos materiais e texturas orgânicos, feitos de forma artesanal e com todas as imperfeições que os caracterizam; mas que ao mesmo tempo, os tornam autênticos, originais e únicos.

Apenas o indispensável e de valor sentimental

Encontrar a beleza na imperfeição desta vida ajuda a simplificar as coisas. Nesse sentido, voltar à natureza é muito mais fácil do que você possa imaginar.

Assim, deixe de lado os preconceitos ocidentais (mesmo que seja pouco a pouco) e aproveite os ambientes. As coisas não podem ficar impecáveis sempre, ou parecer eternamente tiradas de uma revista de decoração.

Recomenda-se usar a paleta de cores ‘permitida’; isto é, os tons de cru, marrom, cinza, bronze, branco e preto; principalmente porque eles estão mais relacionados com o natural e o pacífico. Além disso, se prestarmos atenção o suficiente, veremos que essas são as mesmas cores escolhidas nos estilos escandinavos.

Wabi-sabi: Encontrar a beleza na imperfeição

De fato, há uma combinação de ambas as correntes, chamada Japandi; ela é muito interessante e se adapta muito bem ao estilo de vida ocidental.

Não é necessário preencher os ambientes com muitos objetos decorativos de luxo. Apenas o que já guardamos ou mantemos em casa é o suficiente. Uma moldura antiga e desgastada, algumas ferramentas ou utensílios que pertenciam aos nossos ancestrais, um sofá de couro, alguns vasos de bronze, algumas cestas de vime e almofadas rústicas podem ser o ponto de partida.

Em suma, a decoração wabi-sabi não é simplesmente um estilo decorativo; definitivamente é muito mais do que isso. O objetivo é eliminar o desnecessário, ficar com o essencial e aproveitá-lo até que ele tenha concluído o seu ciclo.

Schor, J. D. (1984). ‘Wabi-Sabi.’ JAMA: The Journal of the American Medical Association. https://doi.org/10.1001/jama.1984.03350220079040