Por que o gotelé saiu de moda?

02 Março, 2019
O gotelé esteve na moda nos anos 60 e, embora tenha muitos detratores, alguns lamentam removê-lo. Hoje vamos lhe contar tudo sobre o gotelé e qual é a sua situação atual.

O gotelé esteve na moda na Espanha nos anos 60 devido ao Plano de Estabilização franquista. Durante este período houve um grande movimento populacional das áreas rurais para a cidade.

Este êxodo produziu um grande ‘boom’ imobiliário. Por esse motivo, foram criados bairros da classe trabalhadora que pareciam verdadeiras colmeias. Foi nestas casas que surgiu o gotelé, que mais tarde seria estendido às casas de todo o país.

Atualmente, ele nada mais é do que um elemento nostálgico que nos lembra as casas das nossas avós.

Como veremos mais adiante, embora ele tenha sido moda, retirá-lo é, atualmente, uma das reformas mais solicitadas.

No artigo de hoje, contaremos tudo sobre o gotelé, por que foi uma tendência e qual é a sua situação atualmente.

O que é o gotelé?

O gotelé vem da palavra francesa goutte ou gouttettle que significam ‘gota’ e ‘gotinha’, respectivamente. O uso dessa palavra é uma escolha sábia porque ela mesma define essa técnica.

O que é o gotelé?

De fato, ele é uma técnica decorativa, ou melhor, de pintura. Envolve a aplicação de uma tinta mais espessa do que a normal nas paredes, conhecida como pintura a têmpera. Por serem mais espessas, se formam grumos ou gotinhas.

Dependendo da espessura da pintura a têmpera, a parede pode ter mais ou menos textura. O resultado é uma parede completamente rugosa.

Por que o gotelé saiu de moda?

Anteriormente mencionamos a origem do gotelé na Espanha, na década de 60, devido a um grande movimento da população rural para as cidades.

As casas construídas nos bairros da classe trabalhadora foram as principais precursoras dessa técnica.

Isso porque ele se tornou o melhor aliado para esconder as imperfeições dessas edificações. Era um recurso barato e fácil de aplicar.

Além disso, depois de aplicar uma pintura a têmpera e obter uma parede rugosa e sem imperfeições visíveis, era possível aplicar qualquer cor. Isso fazia com que as paredes parecessem perfeitas e até inovadoras para a época.

Por que o gotelé esteve na moda?

Origem gotelé / brico-valera.com

No entanto, ele entrou na moda nos anos 60 e durou até quase o ano 2000 quando o seu declínio começou, porque o conceito de gotelé recebeu uma conotação negativa.

Ele era visto como uma maneira medíocre de corrigir imperfeições ou erros de construção. Portanto, ele se tornou sinônimo de trabalho ‘mal feito’.

Atualmente…

O gotelé esteve na moda por muitos anos, porém a partir do ano 2000 começou a entrar em desuso.

Evidentemente, ainda há muitas casas daquela época e, portanto, ainda há casas com gotelé nas suas paredes.

No entanto, atualmente cada vez mais pessoas estão procurando por casas que não têm essa técnica nas paredes. Não somente porque é considerada uma técnica medíocre, mas também porque é muito antiquada.

Por isso, as imobiliárias ou os proprietários de imóveis, ao venderem as suas propriedades, incluem na sua descrição se elas possuem gotelé ou não.

O gotelé esteve na moda por muitos anos

Tipos de gotelé / interia.es

Embora muitas pessoas ainda decidam comprar casas com o gotelé, elas o fazem pensando em removê-lo. Na verdade, uma das reformas mais comuns atualmente é remover o gotelé das paredes.

Mas nem todas as pessoas são iguais. Ultimamente estão surgindo grupos que defendem o seu retorno.

Eles reivindicam esse retorno não como um modo medíocre de trabalhar, mas sim como uma lembrança do passado. Quem sabe, nestes tempos de amor pelo passado e pelo vintage, talvez ele volte para as nossas paredes.

Conclusão

O fato de o gotelé ter sido moda nos anos 60 não significa que ele não possa retornar. Para todos os românticos e amantes do vintage, ele é uma maneira de valorizar o nosso passado.

Ao contrário do que os detratores possam pensar, há muitos designers e decoradores de interiores que apostam no gotelé apenas como uma maneira de dar textura a uma parede de um cômodo.

Por outro lado, a principal desvantagem desta técnica é que, dando rugosidade à parede, não se permite a aplicação de vinis decorativos, que são tendência ultimamente.

Além disso, as gotas na parede criam luzes e sombras que fazem com que a pintura não pareça homogênea.